sexta-feira, 3 de março de 2017

Respirar para não gastar...E agradecer

                                                                Queridos!


Vejam que matéria bacana saiu na revista do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia CREA/SP sobre Economia Doméstica com o tema: Respirar para não gastar... e agradecer. Lá eu falo um pouquinho desta questão de controlar "o quanto se ganha com o quanto se gasta" e que poupar sem propósito é cognitivo, finalizo com algumas dicas e um lindo agradecimento com o tratado de São Tomas de Aquino. Não deixem de ler!

Bjocas Carinhosas!!! 

#creasp
#palestrafinanceira www.palestrafinanceira.com.br

http://emkt.creasp.org.br/emkt/tracer/…
Caso não consiga acessar o link acima, clique abaixo para a versão em PDF da revista http://emkt.creasp.org.br/emkt/tracer/…

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Como melhorar as chances de obtenção de crédito a Micro, Pequena e Média Empresa (MPME)?

Segundo Serasa, pequenas e médias empresas bateram recorde de CNPJs negativados em 2016. A inadimplência  das operações de crédito dá os primeiros sinais de melhora, mas a situação delas ainda preocupa. O texto de Pedro Ivo Fator aborda de maneira descontraída os impasses sofridos nesse cenário de instabilidade econômica. Aproveitem a leitura!

Bjocas Carinhosas!!!
Janaina

No Brasil existem ativos 19,6 milhões de estabelecimentos. Desse total, 67,45% são micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), as quais respondem por aproximadamente 31,98% do faturamento total das empresas. Este fato demonstra a importância das MPMEs para a economia brasileira, como amplas impulsionadoras do crescimento e do emprego.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

A análise da evolução do processo de gestão de uma instituição financeira


A PROFISSIONALIZAÇÃO DAS instituições financeiras de médio e pequeno porte COM CONTROLE FAMILIAR

Os elementos dos sistemas de controle gerencial incluem o planejamento estratégico, preparação de orçamento, alocação de recursos, mensuração de desempenho, entre outros. O controle gerencial é imprescindível para qualquer organização que pratique descentralização, principalmente quando se pensa em entidades familiares, onde as tomadas de decisões envolvem diretamente o conflito entre Patrimônio e Gestão.
Aliar estratégias e mediar tais conflitos, buscando soluções adequadas é o que o artigo de Auro Seigui Uehara e Octavio Ribeiro de Mendonça Neto aborda.
Aproveitem o texto! Bjocas carinhosas

domingo, 22 de maio de 2016

Sua Saúde Financeira

Somos fruto do que pensamos, partindo desta premissa, tivemos um gostoso bate-papo sobre a SUA SAÚDE FINANCEIRA na palestra feita na DUDALINA. Temos que nos preparar estrategicamente em relação aos nossos gastos, a partir do que nos faz feliz. Bjocas carinhosas!!!
‪#‎palestrafinanceira‬

terça-feira, 5 de abril de 2016

Competitividade, lucratividade e descentralização no setor de TI

O que empresas como Shell, Dell, HP, Oracle ou Correios têm em comum?  Um ambiente no qual a empresa consiga absorver atividades que apoiam os principais processos do negócio de cada uma de suas unidades de negócio. Essa é a estratégia para implementação dos Centros de Serviços Compartilhados (CSC). Este texto do nosso querido Sergio Ricardo Rodrigues trata de maneira detalhada e leve o core business das empresas de tecnologia mostrando o sucesso e insucesso na estratégia.    Boa leitura. 
Bjocas carinhosas!!!


Importância Estratégica na adoção do modelo de Centro de ServiçCompartilhados em Empresas de Tecnologia: sucessos e insucessos.

 Em todo segmento de negócios, a dinâmica das interações comerciais entre as empresas se caracteriza pelo ritmo acelerado, consequência da competitividade, da complexidade das operações e busca por resultados melhores.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Qual o plano de definição de preços dos supermercados???

Sempre abordo a questão de precificação em minhas aulas e palestras. Aliar a preferência do consumidor e os pilares para formação de preços, pode ser muito subjetivo... Adotar uma estratégia de preços é fundamental para o sucesso do  negócio já que uma série de variáveis como público alvo, mercado, sistema tributário entre outros, precisam ser levados em consideração. Essa questão foi bem abordada neste artigo por Magno Diogenes Nascimento Santos e seu orientador Marcelo Francinni Girão Barroso, aproveitem a leitura. Bjocas carinhosas!!!

O setor varejista é muito competitivo e exigente, a busca das redes de supermercado para oferecerem os melhores produtos a pros justos e obter uma margem de lucro desejável é um grande desafio, pois entre as variáveis que compõem o mix de marketing, o preço é a que mais afeta a competitividade, o volume de vendas, as margens e a lucratividade das empresas.

sábado, 30 de janeiro de 2016

São Paulo Avenida Paulista

Apesar de sermos o estado mais rico economicamente, um Índice dicotômico mostra que estamos na 12ª posição das cidades com famílias mais endividadas. O que estamos fazendo de errado? 


E não é somente agora que sentimos os efeitos, o percentual de famílias endividadas estava em 62,7% lá em agosto de 2015, registrando aumento após dois meses co
nsecutivos de queda, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Foi o maior registro de endividamento em 2015.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Regulamentação dos ativos financeiros: Existe? Sim, existe e há uma série de normas.

Para uma empresa se destacar é necessário uma evolução contínua em seus produtos e serviços. Entretanto, quanto maior fica mais complexa se torna a gestão patrimonial e as decisões gerenciais nessa área. A autora Mariana do Nascimento Ferreira e seu orientador e coautor Profº Dr. Octavio Ribeiro M. Neto foram geniais com este artigo, pois abordaram de uma maneira interessante as decisões de impairment, o valor justo e os ativos financeiros.
Aproveitem e deixem seus comentários. Bjocas carinhosas!

Vários autores afirmam que o processo regulatório da contabilidade foi potencializado pelas crises econômicas ocorridas a partir do século XX.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Em defesa do “Diálogo”

São tantas as formas de comunicação: sinais, escritas, desenhos, objetos, imagens e cores. Usamos o corpo, o som, a tecnologia, a locomoção, partilhamos informações transformando a comunicação numa ferramenta de integração, instrução e troca mútua. Porém como fica o diálogo?
Segundo o dicionário, diálogo é a conversação entre duas ou mais pessoas numa troca de intervenientes com o objetivo não de analisar as coisas, ganhar discussões ou trocar opiniões, seu propósito é suspender as opiniões e observá-las, embora se desenvolva a partir de pontos de vista diferentes, o verdadeiro diálogo supõe um clima de boa vontade e compreensão recíproca.
Dialogar não é fácil, nem entre países, nem entre grupos, nem entre pessoas, nem entre empresas e funcionários.