quinta-feira, 11 de maio de 2017

Entenda as diferenças de juros praticado no mercado e avalie seu perfil financeiro

Queridos!

Quando pensamos em juros não estamos somente pensando em dividas... é claro que a preocupação maior é se existe dívida onde ocorram juros, mas existem outras possibilidades, como os investimentos. E para ter uma projeção de ganhos é preciso entender a forma como são calculados os juros. Neste artigo falaremos dos Juros Compostos e Juros Simples e convidaremos você leitor a entender um pouco sobre a forma como são calculados, podendo assim inclusive, escolher seu melhor investimento e definir seu Perfil Financeiro.


 Matemática financeira, desta todos querem saber e entender, não é mesmo? Essencial no dia a dia das pessoas, existem certas fórmulas de máxima importância na hora de fazer uma compra e que colaboram com a decisão de uma negociação vantajosa ou não.

Os juros, por exemplo, fazem parte deste grupo. Apesar de ninguém gostar deles, estão presentes em praticamente todas as compras e vendas. Distinguir juros compostos de juros simples com certeza é um passo importante no debate que define a tomada de decisão acerca  de qualquer processo que envolva este cálculo.
                            "Tenham cuidado com os custos pequenos!
                            Uma pequena fenda afunda grandes barcos"
                                                Benjamim Franklin
Você sabe quais são as diferenças entre as duas modalidades de juros? Se não sabe ou se tem alguma dúvida acerca do assunto, preste atenção: Vamos explicar tudo!

O que é Juros?

Antes de partir para as diferenciações existentes entre os cálculos de juros simples e composto, é importante retomar a própria definição do que significa este termo.

Juros é o valor pago como remuneração a um credor e refere-se ao período que este emprestou, de algum modo, seu dinheiro ou patrimônio para o devedor.

Comum em empréstimos e financiamentos, os juros podem assumir duas diferentes vertentes de cálculo sendo essas o juros composto e o juros simples.

Juros simples x Juros composto

Juros simples

Vamos começar pelo simples que, como o próprio nome indica, é mais fácil de entender e por em prática. O cálculo considera quatro pontos importantes: o montante, o capital inicial, o juros e o tempo.

A fórmula do juros simples é a seguinte: “J=CIT”, podendo ser encontrada também como “J=CIN”. Em ambos os casos, J significa juros, C o capital inicial, I a taxa de juros aplicada ao valor e T ou N o tempo.

Basicamente falando, o juros simples tem como característica a constância do valor sendo, por este motivo, comumente utilizados em operações e transações financeiras de curto espaço de tempo.

Veja um exemplo de caso e de aplicação da fórmula do juros simples a seguir:

Sua empresa tomou um empréstimo de R$ 3.000 reais sendo que a condição firmada para a concessão foi a de que o dinheiro fosse devolvido em 3 meses com taxa de 10% a.m – ao mês.

Neste caso, qual o juros aplicado ao empréstimo?

Aplicando a fórmula tem-se que:

J=3000.0,1.3 ou J=3000x(10/100)x3
J=900

O juros que deverá ser pago sobre o valor emprestado é de R$ 900 e o montante do total a ser devolvido, ou seja, o Capital mais o Juros, é de R$ 3.900.

Viu como é fácil calcular o juro simples? Então veja mais um exemplo para fixar bem a fórmula:

Você tomou um empréstimo pessoal de R$ 2.500 com juros de 15% a.m. O dinheiro deverá ser devolvido em 5 meses. Qual o montante a ser pago ao seu credor?

J=2500.0,15.5 ou J=2500x(15/100)x5
J=1875
M=C+ logo M=2500+1875

O montante a ser pago para o credor será de R$ 4.375.

Juros compostos

Já o juros compostos, por sua vez, é um pouco diferente e exige mais atenção. Sua aplicação considera circunstâncias em que o capital é acumulado, sendo bastante utilizado em empréstimos e financiamentos de duração mais estendida.

Também vale ressaltar que este cálculo é a base da fórmula empregada na poupança,

As variações consideradas para que o resultado seja encontrado são: Montante, representado pela letra M, C como Capital, i é a taxa de juros e T ou N o tempo. Apesar de serem vertentes bem próximas daquelas utilizadas pelo juros simples, a aplicação é bem distinta.

Vale destacar que o resultado dos juros compostos sempre aumenta conforme o tempo passa.

Não existe constância, mas sim muita variação. O valor é mensalmente, ou até mesmo anualmente, calculado dependendo do formato utilizado. Veja a fórmula do juros composto a seguir e entenda melhor como ela é utilizada.

M=C(1+i)t

Quer ver um exemplo para facilitar o seu entendimento sobre o assunto? Ainda sobre o mesmo empréstimo tomado por sua empresa no tópico anterior, considere que os R$ 3.000 foram tomados por 3 meses sob o juros composto de 10% a.m. Calcule:

M=3000(1+0,1)3
M=3000.1,331
M=3993

Sabendo que Montante é igual a Capital + Juros, é importante destacar que apenas o valor de juros é de R$ 993,00 um total de R$ 93 a mais do que no exemplo anterior.

Veja o segundo exemplo que foi utilizado antes. Vamos refazer seu cálculo considerando que o empréstimo tomado de R$ 2.500 por 5 meses sofreu uma incidência de juros compostos de 15% a.m. Neste caso:

M=2500(1+0,15)5
M=2500.2,011
M=5027,50

Qual o valor total do juros nesta situação? Se o montante é a soma do capital mais o juros, retirando-se os R$ 2.500 dos R$ 5.027,50 tem-se que apenas os juros deste empréstimo foram de R$ 2.527,50.

Comparando os dois casos, percebe-se um aumento de R$ 652,50 de juros, um valor de importância quando comparado ao capital inicialmente tomado para empréstimo.

Percebem o motivo da importância em se conhecer as modalidades de juros?



Agora que você já sabe quais são as fórmulas e os cálculos de cada um dos tipos de juros é importante ressaltar a importância deste conhecimento no dia a dia.

Qualquer empréstimo ou financiamento, até mesmo uma simples compra a prazo em crediário, pode trazer qualquer cálculos embutidos. Como foi averiguado, as diferenças entre os valores totais de juros simples e composto são bem diferentes.

Neste cenário, imagine-se em um banco negociando um capital para investir em sua empresa sem saber que o juros composto pesa muito mais no orçamento, já que o montante final é muito mais alto, do que o simples. Ter conhecimento dos dois com certeza lhe ajudará a decidir se compensa, ou não, fechar a contratação.

Outras aplicações comuns de juros simples e compostos é no financiamento de carros e casas.

Também vale a pena destacar que dá para se avaliar investimentos a partir da mesma fórmula. Comparar, por exemplo, o quanto a poupança está rendendo e compara-las à outras opções.


Agora vamos avaliar o seu Perfil Financeiro e definir qual o melhor investimento


Disponibilizamos no nosso site uma ferramenta AVALIAÇÃO DE PERFIL FINANCEIRO que irá ajuda-lo a identificar seu tipo psicológico na hora de lidar com o dinheiro. Sim, Existem 8 tipos. As análises foram baseadas em testes de personalidade e em teorias psicológicas, bem como, entrevistas com especialistas de finanças e economia.

Devedor, Poupador, Agressivo, Conservador, Planejador, Impulsivo, Doador e Colecionador: entenda o que cada perfil diz sobre você na hora ganhar, gastar, poupar e investir seu dinheiro.



Além disso, também esta disponível para download PLANILHA DE CONTROLE DE GASTOS FINANCEIROS. Essa planilha desenvolvida pela IDEC - Instituto Brasileiro de defesa do Consumidor, incluem funções matemáticas, gráficos e projeções que permitem uma análise mais apurada do orçamento pessoal, nela você irá administrar com mais clareza sua renda mensal, controlar suas despesas com mais facilidade, evitar gastar mais dinheiro do que você ganha e planejar as prioridades dos seus gastos.

                     
Espero que todos tenham excelentes negócios.

Bocas carinhosas!!!

Janaina Macedo Calvo





Postar um comentário